(11) 3071-0376 / (11) 2597-3595   (11) 98822-8303

Perda Auditiva Unilateral: Causas e Consequências

A Perda auditiva unilateral ocorre quando há audição normal em um ouvido e perda auditiva no outro, tem início súbito ou gradual e pode afetar pessoas de todas as idades. As causas são variadas e podem incluir patologias de origem cocleovestibular, trauma do osso temporal, doença de Meniere, schwanoma vestibular, isquemia vascular, doenças autoimunes, infecções, exposição a ruído alto, trauma na cabeça e outros. Entretanto, em geral a causa é de origem desconhecida.

Infelizmente, a perda auditiva unilateral é subestimada por ser menos evidente que a perda auditiva bilateral (nos dois ouvidos). Acredita-se que por haver uma orelha com audição normal, a capacidade auditiva é pouco afetada. Mas, isso não é tão verdadeiro.

O que acontece na perda auditiva unilateral?

Precisamos ter em mente que a audição é um processo físico e bioquímico altamente complexo que se inicia nas orelhas, mas é o cérebro que processa e integra as informações sonoras que foram captadas pelas duas orelhas de acordo com a frequência, a intensidade e a duração do estímulo sonoro. Nosso corpo é uma máquina perfeitamente ajustada e nosso sistema auditivo consegue processar, ao mesmo tempo, diferentes sons.

O cérebro é capaz de perceber diferenças de milésimos de segundo e também a intensidade (volume) entre os sinais sonoros captados pelas orelhas, é isso que viabiliza a habilidade de localização espacial sonora. Por tanto, ter duas orelhas nos permite identificar a origem dos sons no ambiente. Quando há perda auditiva em uma orelha, essa habilidade pode ser afetada.

Além disso, e não menos importante, a integração da informação sonora originada em cada orelha possui um papel crucial na tarefa de escutar, permitindo a clareza na fala, principalmente em conversas em grupo com ruído de fundo. Algumas das funções são detectar e discriminar o som, separar o som principal do ruído de fundo e compreende-lo. Quando há perda auditiva em uma orelha o cérebro não consegue integrar tão bem as informações sonoras porque o estimulo sensorial que ele recebe de uma das orelhas não está defasado, essa condição se reflete em uma gama de dificuldades.

Quais as dificuldades enfrentadas por quem possui perda auditiva unilateral?

Pelo que foi explicado, podemos concluir que, na presença de perda auditiva unilateral o cérebro será mais exigido e, por tanto, terá que se esforçar mais para compensar a falta de entrada do sinal sonoro, principalmente em ambientes auditivos complexos.

As dificuldades associadas a perda auditiva unilateral têm impactos substanciais, mas diferenciados, sobre as pessoas afetadas. Este impacto está relacionado ao grau da perda auditiva, a idade de início dos sintomas, a realização de tratamento precoce e a presença de outras condições clínicas associadas.

De modo geral, as pessoas com algum grau de dificuldade auditiva unilateral podem sentir:

  • Dificuldade para identificar de onde o som está vindo
  • Vira a cabeça com frequência, dando preferencia a melhor orelha, para conseguir compreender a fala
  • Zumbido
  • Dificuldade para compreender a fala em ambientes barulhentos
  • Dificuldade para identificar a fala vinda de outro ambiente
  • Cansaço devido ao maior esforço de escuta
  • Ouvir TV e/ou rádio em volume muito alto
  • Responde as perguntas de forma errada
  • Maior irritabilidade

Nos casos de perda auditiva neurossensorial unilateral de grau severo a profundo as dificuldades são mais percebidas. Com o tempo, esses estressores adicionais resultam em fadiga auditiva e redução no desempenho no trabalho e/ou atividades acadêmicas.

O que fazer?

Ao menor sinal de alteração ou dificuldade na capacidade auditiva procure ajuda médica especializada em saúde auditiva. Não deixe essa tarefa para depois.

Existem várias possibilidades de tratamento para perda auditiva unilateral, a escolha da abordagem utilizada dependerá do diagnóstico bem executado e do grau de dificuldade apresentado pelo paciente.

As possbilidades de tratamento incluem a abordagem medicamentosa, cirúrgica, uso de dispositivo eletrônico de tecnologia auditiva – com amplificação traducional e/ou com redirecionamento de sinal para o ouvido com audição normal, além de dispositivos de condução óssea e implante coclear.

Texto escrito por

Fga.: Marina Cavalcanti

CRFa.: 2-21178 SP

Referências:

Paul A, Marlin S, Parodi M, Rouillon I, Guerlain J, Pingault V, Couloigner V, Garabedian EN, Denoyelle F, Loundon N. Unilateral Sensorineural Hearing Loss: Medical Context and Etiology. Audiol Neurootol. 2017;22(2):83-88. doi: 10.1159/000474928. Epub 2017 Jul 22. PMID: 28738350.

Snapp HA, Ausili SA. Hearing with One Ear: Consequences and Treatments for Profound Unilateral Hearing Loss. J Clin Med. 2020 Apr 3;9(4):1010. doi: 10.3390/jcm9041010. PMID: 32260087; PMCID: PMC7230949.

Kitterick PT, Smith SN, Lucas L. Hearing Instruments for Unilateral Severe-to-Profound Sensorineural Hearing Loss in Adults: A Systematic Review and Meta-Analysis. Ear Hear. 2016 Sep-Oct;37(5):495-507. doi: 10.1097/AUD.0000000000000313. PMID: 27232073; PMCID: PMC4998125

Perda Auditiva Unilateral: Causas e Consequências

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para o topo